O que precisamos saber sobre a Respiração para turbinar o Canto

Saber Usar a Respiração é o Grande Segredo no Canto

 

A voz é o resultado do equilíbrio entre duas forças: a força do ar que sai dos pulmões e a força muscular da laringe. Se houver um desequilíbrio nesse mecanismo, poderá ocorrer uma alteração na voz. Toda e qualquer alteração na voz é denominada disfonia.

A respiração é fundamental na produção da voz, já que a partir da interação das pregas vocais e as correntes de ar que sai dos pulmões na expiração é que o som é produzido.

O som produzido nas pregas vocais passa por um “alto-falante” natural formado pela faringe, boca e nariz. Estas estruturas são denominadas cavidades de ressonância.

Os sons da fala e do canto são articulados na cavidade da boca, através de movimentos da língua, lábios, mandíbula, dentes e palato, modificando o ar vindo dos pulmões. Estas estruturas modificam o som produzindo a fala.

A voz é diretamente influenciada pelo estado emocional do indivíduo, ou seja, quando estamos contentes temos um tom de voz, diferente de quando estamos tristes ou nervosos.

A frequência da voz varia entre 50 e 3400 Hz (vibrações por segundos). As pregas vocais do homem têm mais massa e são menos esticadas que as da mulher (como no violão, as cordas mais esticadas são mais agudas e vibram mais que as cordas mais graves).

A frequência natural da voz é determinada, em grande parte, pelo comprimento das pregas vocais. As mulheres têm voz mais aguda do que os homens porque as suas pregas vocais são mais curtas. Pela mesma razão, as vozes das crianças são mais agudas do que as dos adultos.

Uma boa voz caracteriza-se por apresentar qualidade agradável, equilíbrio de ressonância (projeção), intensidade (volume: alto ou baixo) e frequência (grave: “grosso” e aguda: “fininha”), “limpa”, sem rouquidão ou outros sintomas e, principalmente sem esforço muscular.

Para termos uma ótima voz e uma voz saudável, precisamos exercitar nosso aparelho respiratório. À emissão de uma voz saudável damos o nome de eufonia.

Por isso, que para termos uma boa voz precisamos exercitar nossa respiração para produzirmos uma excelente voz.

O treinamento respiratório é fundamental para que gente automatize o padrão respiratório ideal para o canto, para condicionar a musculatura envolvida nesse processo e também para termos um controle maior da nossa respiração. O que é de extrema importância no canto.

Uma boa respiração juntamente com a utilização correta do apoio respiratório é a base para uma boa performance vocal.

Respiração é treino para a vida inteira do cantor. Sempre temos que manter a musculatura envolvida na respiração tonificada e forte.

E para alcançarmos um bom resultado é importante que a gente faça treinamentos diários.

MODO RESPIRATÓRIO

Nós podemos respirar pelo nariz que é respiração nasal, pela boca que é respiração oral ou pelos dois ao mesmo tempo que é respiração mista.

Quando estamos em silêncio o ideal é que a gente respire pelo nariz, já que dessa forma o ar pode ser filtrado. Porém, durante a fala e o canto em alguns momentos precisamos respirar, tomar o ar com mais rapidez e isso só é possível respirando pela boca.

Então, é por isso, que na hora de cantar, a gente deve utilizar a respiração mista, ela é considerada a mais adequada durante o canto. Esse modo respiratório permite que a gente puxe o ar pelo nariz e pela boca ao mesmo tempo. 

TIPO RESPIRATÓRIO

O padrão respiratório considerado mais eficiente, para o canto é o Costodiafragmático Abdominal.

respiracaoCosto porque nesta respiração ocorre a abertura das costelas.

Diafragmático porque está relacionada ao diafragma que é um músculo que separa tórax do abdômen e que se abaixa durante a inspiração.

Abdominal porque está relacionada ao abdômen que se expande no momento em que o diafragma se abaixa.

Esse tipo de respiração permite que a gente tenha um controle maior da saída do ar durante o canto. Além de não causar tensões no corpo.

APOIO RESPIRATÓRIO

Muitos de vocês já devem ter ouvido falar do uso do apoio respiratório na hora de cantar. Porém, muitos ainda não. Então eu vou falar o que seria esse apoio.

Para falar a gente precisa de uma pressão de ar suficiente para fazer vibrar as pregas vocais, e para que assim o som seja produzido.

Porém, na hora de cantar, nós precisamos de uma pressão de ar ainda maior, então para isso, nós utilizamos a musculatura abdominal como apoio para produzir essa pressão de ar que a gente precisa.

É a partir da contração da musculatura abdominal que fazemos esse apoio, porém o apoio não acontece de forma efetiva se não tivermos com o suporte das costelas, elas devem estar abertas lateralmente.

É esse movimento que vai produzir essa pressão de ar maior.

Um jeito legal de percebermos esse apoio é quando damos gargalhadas.

Observe que a nossa barriga se movimenta para dentro durante cada gargalhada. É isso que vai acontecer no canto, nós vamos usar o apoio durante a emissão de cada som.

É importante ressaltar que também existem outras técnicas de apoio respiratório para o canto. Como por exemplo a expansão abdominal durante a emissão do som.

As duas técnicas podem produzir bons resultados, porém eu optei por dar ênfase a uma delas que no caso é a técnica do apoio respiratório com contração abdominal.

Essa técnica foi escolhida por gerar menos sobrecarga na laringe, de acordo com alguns estudos na área da fonoaudiologia.

Com essas dicas você já terá um bom resultado. Mas, se você deseja avançar nos estudos, clique aqui.

É isso! Espero que goste.

 

 

Fique em Deus!

♫ Vilma ♫